DC Skate Challenge|Resumo da 4ª etapa em Cascais

publicado há 2 anos por 0

O pessoal do Radical Skate Clube provavelmente foi levada ao limite com a chuva mais uma vez a “dar à costa” e a quase estragar mais uma vez os planos de levar a cabo esta final do DC Skate Challenge.

O parque das Gerações em Cascais finalmente recebeu a grande final do DC Skate Challenge, isto depois de dois adiamentos forçados devido ao mau tempo. Podemos dizer que à “terceira é de vez”, mas por um triz, uma vez que o mau tempo teimou em aparecer chegando mesmo a chover e parar a prova, isto numa altura que a organização do Radical Skate Clube, já tinha decidido e bem, realizar a competição toda num só dia, o que forçava a competição a ter de “correr” mais rápido de modo a fazer render o tempo da melhor maneira possivel.

Percalços meteorológicos à parte, por volta das 14 horas o céu passou de cinza escuro para azul, e com um verdadeiro dia de primavera a competição retomou.

Esta etapa foi decisiva para conhecer os campeões nacionais de skate e o suspense era mais que muito e o nível dentro da quadra foi muito bom, e com as três categorias a a terem lutas muito interessantes pelo título.

Começamos pelos mais novos onde mais uma vez vimos uma boa adesão de skaters alguns mesmo muito novos.

O conhecimento local e muitos dias a fio neste skatepark foram certamente importantes para o vencedor desta etapa o Manuel Santos mostrando muito conhecimento local, versus a ousadia e muita velocidade do Tomás Pinto segundo classificado, estes skaters são sem dúvida o grande destaque nos mais novos, ambos tem mostrando muita evolução.

Depois de duas vitórias em Viseu e Loulé, as contas foram fáceis de fazer nesta categoria, com o o Tomás Pinto a adicionar mais um segundo lugar nesta etapa e assim conquistar o título de campeão nacional.

Passando aos amadores durante todo o dia foram vários os skaters a mostrarem muito “power” a skatar. Na luta pelo título haviam dois skaters com grandes hipóteses de se sagrar campeão o Tiago Pinto e o Guilherme Lima, mas a juntar à equação havia mais skaters a andar muito como o caso do Daniel Fernandes, Fábio Diniz e outros que podiam com as suas runs mexer muito com a classificação. Mas a grande regularidade do Guilherme Lima nesta etapa final, levou o skater a subir novamente ao pódio e assim ser também o campeão nacional.

Nos profissionais a competição estava mesmo a “escaldar”, com vários skater com hipóteses de chegar ao título. Jorge Simões, Gustavo Ribeiro, Bruno Senra, Pedro Roseiro e Gabriel Ribeiro todos estes skaters tinham a sua chance de chegar a campeão, embora a “matemática” sempre esteve mais favorável para o Jorginho ou para o Gustavo. Mesmo assim era necessário para estes skaters subir ao pódio para não saír da luta pelo título, e um azar para qualquer um deste skaters era fatal.

Na prática foi quase isso que acabou por acontecer, com o skater do Porto a não ser capaz de colocar a sua run sem falhas, ao invés do Gustavo que mostra que é local e domina o espaço como ninguém, este além de não falhar nada na segunda run ainda a elevou mais com o seu já muito poder técnico.

Pelo meio deste enredo a grande surpresa foi o BP também ele a “andar nas horas” típico deste skater da margem sul, a sua run foi praticamente “limpa” e provavelmente foi isso que o impediu de ir além da segunda posição.

Desta forma ficámos a conhecer o grande vencedor da tarde, e o mais jovem de todos a conseguir um título nacional, o Gustavo Ribeiro que o consegue com apenas 15 anos.

Desta maneira chega assim ao final mais uma edição do DC Skate Chellenge e mais uma vez foi uma edição sempre ao seu melhor nível, com a organização do Radical Skate Clube.

Em 2016 o circuito está previsto arrancar em Junho na cidade de Viseu. já foram reveladas mais duas etapas uma na Póvoa do Varzim e outra em Loulé e a grande final será na zona de Lisboa em local ainda por confirmar.

Comentários