CHECKOUT #03|Luís Oliveira

publicado há 12 meses por 0

checkout-03-luis-oliveira

Como todos bem sabemos o skate em Portugal não é só Lisboa e Porto e a provar isso mesmo temos o Luis Oliveira de Braga mais conhecido por todos como o “Vampiro” e é um skater que já conhecemos à algum tempo dede a altura que as visitas a Braga eram mais frequentes. Depois do “Né” que foi provavelmente o nome mais sonante a saír desta cidade, o “Vampiro” mostra que a nova geração de skaters está com muito para dar, e que não nos podemos apenas voltar para o que se passa nos grandes centros urbanos.

Queremos fazer um agradecimento muito especial ao James Gomez, por tornar possível esta mini entrevista com o texto e as imagens.

Vamos Luís, apresenta-te! E aproveita e conta-nos de onde vem a tua alcunha de Vampiro?

Sou o Luís Oliveira, tenho 21 anos e sou de Braga. A minha alcunha vem desde quando eu era mais novo porque eu tinha os dentes muito afiados e uma marca de nascença no lábio. Na altura o pessoal disse que era sangue e que trincava pescoços, e pronto ficou vampiro até aos dias de hoje (risos).

E como é que ocupas o teu dia-a-dia?

Normalmente costumo ter aulas, mas sempre que saio da escola vou andar de skate. Às quintas, sextas, sábados e domingos vou sempre skatar com a malta até às 18h que depois trabalho das seis à meia noite. Aproveito para “descansar” enquanto trabalho e quando há pica ainda vou skatar depois do trabalho.

E andas a estudar concretamente para fazer o quê?

Estou a tirar um curso de cozinha e pastelaria, mas gosto mais de cozinha.

Como é que aconteceu aquele momento mágico, da primeira vez que te cruzaste com um skate?

Eu tinha amigos na escola primária que andavam de skate e já na altura pensava: “eu gostava de poder fazer aquelas manobras, de deslizar nos muros e corrimões”. Foi a partir desse pensamento desde puto que me fez pedir um skate à minha mãe. Ela deu-me o skate e desde aí que nunca mais parei. Já houve muitos malhos e arranhões pelo caminho mas, como costumam dizer, “o skate é arte e cair faz parte”.

Como é para ti um bom dia de skatada, e quem são as tuas companhias de eleição para a skatada?

Uma boa skatada para mim é aquela em que estou com os meus amigos aqui em Braga, são eles: o João Nuno, o André Santos, o José Rego, o Pedro Gomes, e o Pedro de Abreu. Este pessoal é sempre a andar a tarde toda, a disparar manobras cheios de pica, a socializar, a rir, a brincar, a pegar uns com os outros e sobretudo a levar a amizade muito a sério. Isso sim, é uma boa skatada.

Crooked grind

Crooked grind

Qual é para ti o lugar perfeito para skatar?

Para mim o lugar perfeito para skatar é uma boa sessão de street ou um bom park, gosto dos dois e não tenho preferência. O skate é conseguir adaptar-me em qualquer sítio.

E há alguma coisa que queiras concretizar através do skate?

Sim, quero ser reconhecido mundialmente como o Jorginho (risos). Mas falando de sonhos no skate, e além do skate for fun, é claro que gostava de ter a minha pro model, mas pra isso ainda falta muito (risos). Na minha opinião é bom ter sonhos e objectivos, isto é, sonhos todos temos não é verdade? Cabe a cada um dar o litro e o melhor de si próprio, e quem sabe, através de muito esforço e muita dedicação, consiga concretizar os meus sonhos.

Quais são os teus spots favoritos?

Isso é difícil, tenho muitos spots em que gosto de andar, por exemplo: a Praça dos Poetas em Barcelos, a Camara de Matosinhos no Porto, a Praça da Estrela em Vigo (que é aqui ao lado), e claro, o mítico Macba em Barcelona.

E skateparks?

O skate park da Póvoa do Varzim que, pra mim, é dos melhores de Portugal, e também o da Gafanha da Nazaré (Ílhavo/Aveiro).

Quais são os teus skaters nacionais e internacionais de eleição?

Os skaters nacionais nos quais mais me foco são: o Jorge Simões, o João Neto, o Bruno Senra e o Gustavo Ribeiro. A nível internacional: o Luan de Oliveira, o Nyjah Huston, o TJ Rogers e o Paul Hart.

E manobras, quais são as que mais curtes dar?

Manobras que adoro dar: 360º flip, bs big spin, fs tail slide, bs tail slide, flip bs tail slide, bs crooked, bs smith e flip bs lip.

Nose bonk

Nose bonk

Musicalmente gostas de quê?

Wu-Tang Clan, 2Pac, Biggie Smalls, Gucci Mane, Three 6 Mafia e mais uns quantos.

E piteu?

Gosto de um bom Bacalhau à Brás, um bom pica no chão, e claro, kebabs (risos)!

Os melhores vídeos de skate de sempre para ti?

Filmes de skate que adoro são: o Fully Flared, o Almost – Cheese and Crackers e o Helas Caps.

Tens agradecimentos para alguém?

Sim, claro! Principalmente à minha mãe que sempre acreditou em mim e nunca pôs obstáculos na minha vida, um beijo pra ela que a amo! Para o James Gomez que me acompanhou nesta entrevista, um muito obrigado do fundo do coração! À D.R.U.G.S Clothing por apostar e acreditar em mim, à Street Spot Dist por me manter “fresh” com a Nomad Skateboards e Souljah Grip e aos meus amigos que param comigo no dia a dia e que sem eles não sou nada. Um muito obrigado à minha familia e a todos aqueles que acreditam em mim, “tamos juntos”.

Comentários