Certamente que a década de 80 foi das que mais revoluções atravessou, e no skate também houve a mais importante delas todas. Sem dúvida que os skaters team Zephir foram dos maiores visionários de sempre, dando um horizonte completamente novo ao skate que havia até então, estávamos nós ainda na década de 70 quando isto aconteceu. Os Z-boys trouxeram uma totalmente nova abordagem ao skate, mostrando que seria possível surfar, ou algo idêntico embora fora de água. Com o tempo esses rapazes adaptaram mais e mais a sua visão e começaram a invadir as traseiras das moradias para skatar piscinas que se encontravam vazias, fruto de uma grande seca que o sul da Califórnia atravessou e progressivamente houve uma evolução para as primeiras estruturas especificamente criadas para os skaters foram aparecendo. Cerca de uma década mais tarde o skate entrou numa nova era, menos marginal mais popular e mediático muito devido ao vert.

O skate estava mais que lançado, e por muitos já era encarado como mais que um estilo de vida, quando em 1983 aparece um jovem com o nome de Natas Kaupas. Este skater destacou-se ao vencer um campeonato local em Santa Mónica mas este skater estava completamente desinteressado por andar no vert.
Skip Engblom o proprietário da marca SANTA MÓNICA AIRLINES, deixou se seduzir por este skater, quando este do nada, lhe pediu para entrar no seu team que curiosamente não existia. Acontece que nesse mesmo dia e depois de Natas lhe mostrar a sua habilidade, este jovem acabou por receber patrocínio da SMA.

Sem qualquer ideia do que estava a fazer, Natas Kaupas troca as transições pelas ruas e a pouco e pouco vai adaptando e descobrindo novas manobras que foram evoluindo à medida que este skater cada vez mais aperfeiçoava a sua técnica enquanto skatava as ruas em redor do seu bairro. Em meados dos 80, este skater já tinha evoluído bastante e a prova disso foram os primeiros wallrides, que não deixaram ninguém indiferente, nem mesmo a Thrasher que em 1994 publicava a primeira capa.
O trajecto deste skater com a sua aparição na edição de setembro de 84, estava agora numa nova rota e certamente que o skate também causado pelo mediatismo da foto que Craig Stecyk a mostrar uma nova dimensão para o skate. Pensamos ser politicamente correcto dizer que Natas é quase o inventor do “street” mas outros skaters certamente são também pioneiros tais como Mark Gonzalez ou Jim Thiebaud.

O skate conheceu assim uma nova dimensão, mas 20 anos mais tarde o street é a modalidade com mais praticantes em todo o mundo. Seja encarado como um estilo de vida ou um desporto, foi através deste senhor que street começou e ganhou as proporções que todos hoje conhecemos. Ainda em 1984 a SMA lançou o primeiro promodel deste skater. Dois anos mais tarde e para assegurar uma maior exigência do mercado a SMA associa-se à SANTA CRUZ para assegurar uma maior produção e também a distribuição das suas tábuas, algumas delas que certamente ainda estejam bem guardadas cá em Portugal.

Em 1986 Natas Kaupas continua a fazer história e a puxar os limites do skate, tentando pela primeira vez skatar um corrimão durante um campeonato. Um ano mais tarde surge a primeira vídeo part deste skater no filme da SANTA CRUZ “Wheels on Fire”, outra raridade que alguns de vocês ainda devem ter também gravado nalguma cassete de VHS…

Aqui no staff da ONSK8 ver vídeos como o que vais ver a seguir é relembrar velhos e bons tempos, mas não só para nós, também para muitos dos nossos amigos.

YouTube Preview Image
YouTube Preview Image

Comentários

Os comentários estão fechados.