Fisheye suja, cheia de marcas e dedadas? Claro que sim! Estás na rua, a tua camera tem história e o Arthur está a fluir no seu Skate que mesmo com tanto flare a entrar pela cam a dentro tu consegues ver que o nível é bom. Para a Freeskate Mag fica com o trabalho de Ademar Badê que explora o Skate de Arthur Ribeiro em 4:3, uma edição que às vezes parece offbeat, mas que depois de a veres duas ou três vezes encontras o groove da mesma! Let’s go Skate!

Comentários

-